Traços de um retrato © Luigi Ricciardi

“Não há monstro que habite dentro de nós. O que há é algo que habita em todos os recônditos cantos do mundo, e essa coisa não tem nome, mas nos obriga a fazer coisas irreversíveis”